Brasília - O deputado Junior Coimbra foi eleito presidente da comissão especial da Câmara destinada a analisar a PEC da DRU

Delações da Odebrecht: Junior Coimbra e vereadores de Palmas são suspeitos de receber R$ 1,2 mi

O ex-deputado Junior Coimbra é citado em um dos pedidos de investigação enviados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para instâncias judiciais inferiores. O pedido foi feito com base em delação de um diretor da Odebrecht, que afirma ter feito repasse de R$ 1,2 milhões em caixa dois para integrantes do diretório regional do PMDB no Tocantins em 2014.

O suposto repasse é citado na delação de Mário Amaro. Durante o depoimento, ele afirmou ter recebido ordens superiores para “dar apoio” ao partido no estado. Os pagamentos foram definidos durante reunião para buscar pessoas que pudessem apoiar a empresa no Tocantins e no Pará.

As tratativas supostamente foram feitas com Junior Coimbra, que era presidente do diretório do partido, na sede da Saneatins em Palmas. Primeiro teriam sido pagos R$ 300 mil, para ele, em uma única parcela em janeiro de 2014. Em uma terceira reunião com a presença de dois vereadores de Palmas, Émerson Coimbra (PMDB) e Rogério de Freitas (PMDB), na casa do ex-deputado, ficou definido outros pagamentos para março do mesmo ano.

Nesta última reunião, o deputado teria informado que um repasse de R$ 900 mil deveria ser tratado com os dois vereadores. “Eu entendi que ele estava repassando esse valor, embora não possa afirmar, não apenas a incumbência [de receber] como também o valor para eles”, disse Amaro. O valor foi pago em duas parcelas.

A petição que cita os políticos do Tocantins foi enviada para o Tribunal Regional Federal, da 1ª região, onde as suspeitas serão apuradas.

Outro lado

Após a divulgação dos pedidos de inquérito pelo ministro Edson Fachi, nesta quarta-feira (12), o ex-deputado Junior Coimbra disse que está tranquilo e que desconhece o teor da delação. Ele acrescentou ainda que quando for acionado pela Justiça estará à disposição para prestar esclarecimentos e que segue trabalhando normalmente na secretaria.

A assessoria do vereador Rogério de Freitas disse que o parlamentar está fora da cidade, mas logo vai se pronunciar sobre o caso. Ainda não conseguimos contato com o ex-vereador Émerson Coimbra.

‘Lista de Fachin’

Ao todo, 201 pedidos de inquérito foram remetidos a instâncias inferiores da Justiça Federal em todo o país. Relator da Lava Jato no Supremo, o ministro Edson Fachin também determinou a abertura de 76 inquéritos contra políticos e autoridades com base nas delações de ex-executivos da Odebrecht, informou a assessoria do STF.

O ministro enviou de volta à Procuradoria Geral da República (PGR) outros 11 pedidos de investigação para nova análise. Outros 25 pedidos foram mantidos sob sigilo, por risco de atrapalhar as investigações. Foram arquivados 7 casos envolvendo autoridades, a pedido da PGR, por falta de indícios da ocorrência de crimes.

Fonte: G1 TO
Share With:
Rate This Article
Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário